Pensamento – 30/10/2019

0
9

No evangelho nesse mês missionário, encontramos com Cristo o grande evangelizador missionário indo de lugar em lugar pregando a boa nova do amor e da misericórdia de seu Pai. De repente alguns perguntaram sobre a questão de salvação. Será que poucos vão ser salvos? A pergunta talvez viesse dos ensinamentos dos sacerdotes e fariseus daquele tempo que ensinaram que somente os poucos perfeitos seriam salvos.

Claro, eles se consideram parte desses poucos perfeitos, e o resto do povo comum e pobre seria jogado no inferno. Por isso, infelizmente o povo simples teve medo de Deus. Cristo corrigiu esse pensamento dizendo que seu Pai quer dar o dom da salvação a todos: santos e pecadores.  Mas Cristo insistiu que precisávamos cooperar com essa graça entrando pela porta estreita, isto é, vivendo a aliança de nosso batismo com fidelidade – amar a Deus de todo nosso coração e amar ao próximo, não em teoria como os fariseus, mas sim na vida.

O julgamento final sobre a salvação será sobre nosso cumprimento desses dois mandamentos e o Pai somente vai reconhecer os que tentaram viver esses dois mandamentos na fidelidade. Deus é amor e nos criou por amor e para amar. Se não vivemos esses dois mandamentos ouviremos essas palavras assustadoras do Pai: “Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim”.

E Jesus declara de novo que ele veio para chamar a todos e não só os Judeus para a santidade e a salvação. Por isso os últimos, os gentios, os desprezados, os pobres, os pecadores arrependidos serão os primeiros a entrar no reino. Que nossa Mãe nos ajude a viver com muita garra esses dois mandamentos de amor, e um dia escutaremos com alegria: “Venha bendito ao meu reino por toda eternidade”. Mãe do Perpetuo Socorro, rogai por nós.

Missionário Redentorista Pe. Lourenço Kearns

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, indique o seu nome aqui