Ninguém vai aprisionar nosso Amor – 01/04/2020

0
30

      Prezados irmãos e irmãs, neste tempo de Quaresma, tempo de recolhimento em nossas vidas e em nossas casas, mesmo distante das celebrações deste tempo tão forte na Igreja, o Senhor nos ensina que se permanecermos nele e em sua palavra, mesmo em tempos em que nos isolamos para evitar riscos para nossa saúde e dos irmãos, permanecendo em Cristo seremos verdadeiramente livres. Quanto alento e esperança nos dá o Senhor Jesus: nesses tempos de desafios e desapegos, quantas pessoas se apresentam com suas verdades, com suas certezas. Fazem da verdade uma coisa, uma posse sua. Mas nós sabemos: somente em Cristo, em suas palavras e ações, está a Verdade e a liberdade.

         Nossa fé nos mostra que a situação pela qual passamos pode prender nosso corpo, nos afastar de pessoas queridas, mas nunca conseguirá aprisionar nosso Amor. Somos o corpo de Cristo, e onde estivermos, estaremos unidos a ele. Vamos então aprender, neste Evangelho, que Jesus convida a cada um de nós a sairmos da mesquinhez rumo a uma Verdade maior, da verdadeira liberdade.

         Podemos, sim, estar fechados em nossas casas, mas nunca em nossa mesquinhez. Ao abraçar a verdade de Cristo, pela fé abraçamos a cada pessoa, em cada parte do mundo, fortalecendo-nos pela presença do outro, alimentando nossa fé na leitura e meditação de um Salmo, consolando-nos, sendo solidários e fazendo as escolhas certas.

         Maria, nossa Mãe do Perpétuo Socorro, está conosco, como Mãe amorosa que ampara e acolhe cada filho, cada filha. Coloquemo-nos sob sua proteção, confiando-nos a ela que ouve as nossas súplicas, que dirigimos nesses momentos tão difíceis, mas que se tornam suportáveis por fazermos parte dessa família, a Igreja do Deus vivo.

 Mãe do Perpétuo Socorro, Rogai por nós.

 Diácono Edilson da Costa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, indique o seu nome aqui