A VENERAÇÃO ÀS IMAGENS E A IDOLATRIA¹

0
769

“Deus criou o homem à sua imagem…” Gn 1, 27

1. A Bíblia diz: “Não faça para você ídolos, nenhuma representação daquilo que existe no céu e na terra, ou nas águas debaixo da terra”, Ex 20,4. Outros textos semelhantes a este: Imagens feitas por artesões, Dt, 27,15; já em 1Sm 15,23 a idolatria é considerada obstinação; Oséias 9,10 fala de pessoas consagradas à idolatria; em At 17,16 Paulo revolta-se contra a idolatria; em ICor 10,14, onde Paulo pede que os cristãos fujam da idolatria; em Gl 5,20, Paulo chama de idolatria a feitiçaria e as inimizades; em Cl 3,5 o apóstolo chama de idolatria o desejo maligno e a avareza; em IPd 4,5, Pedro considera que as bebedeiras, cobiças e gula são idolatrias abomináveis.
2. Encontramos também na Bíblia textos onde Deus permite fazer imagens: Produção de imagens de Querubins; Ex 25, 18-20; Deus manda fazer uma serpente de bronze e coloca-la por cima de uma haste, Nm 21, 8-9, Salomão enfeita o templo de Jerusalém com imagens de Querubins, palmas, flores, bois e leões, IRs 6, 23-35; 7,29.
3. A Bíblia estaria entrando em contradição? Em alguns textos manda fazer imagem, em outros a proíbe? E importante não tirar os textos de seus contextos. Do mundo bíblico estamos distantes em termos de tempo, espaço e cultura. Muitas vezes, querendo assegurar uma fidelidade literal podemos trair o sentido verdadeiro do texto. Em fidelidade ao espírito bíblico, às vezes temos que ir contra a letra da bíblia.
4. É proibido fazer imagens não só de deuses falsos, de ídolos, mas também de Javé, Deus de Israel, que é também o nosso Deus. Essa proibição era muito importante, porque os israelitas tinham sempre a tentação de possuir uma estátua do seu Deus, como os outros povos. Foi o que aconteceu quando construíram o bezerro de ouro (Ex, 32) para adorá-lo como o deus que os tinha livrado do Egito. A idolatria centra-se no aprisionar Deus em uma imagem. Transformá-lo num objeto que se pode controlar. Utilizá-lo como um meio para conseguir o que se deseja. Um grave erro, porque sou eu que devo fazer a vontade de Deus e não ele a minha. Em nossos dias a Idolatria não é ter uma imagem para relembrar alguém importante que viveu o Evangelho amando a Deus e aos irmãos. Mas está em colocar como centro da nossa vida coisas terrenas e não Deus. Qualquer coisa que seja mais importante que Deus em nossa vida é idolatria, por exemplo, o dinheiro e o poder.
5. O Deus verdadeiro é um Deus que nos comunica livremente os seus dons às suas criaturas. É ele que toma a iniciativa de vir ao nosso encontro através de sua palavra, revelando o que quer de nós. A proibição de fabricar imagens ia contra a tendência de possuir um Deus à nossa medida, à nossa disposição, sem respeitar a grandeza de Deus que está infinitamente acima de todas as nossas pretensões.
6. Sabemos que somos criados a imagem e semelhança de Deus, Gn 1, 26-31. Em Jesus, a Palavra de Deus se fez carne. O próprio Filho de Deus se tornou um homem verdadeiro. Ele assumiu um corpo como o nosso, para mostrar através de seus gestos e palavras, de toda a sua vida, que Deus é amor. Por isso, Paulo diz que Jesus é a imagem do Deus invisível. E o próprio Jesus acrescenta: “Quem me vê, vê o Pai”, 2Cor 1,15s. Por isso Jesus é o primeiro a estabelecer uma nova relação entre os homens (comunhão dos santos).
7. Nenhum católico é tão estúpido a ponto de pensar que aquele pedaço de madeira, gesso ou papel ouve e atende a sua oração. Nós não adoramos as imagens de Jesus, de Nossa Senhora e dos santos e santas, mas as tratamos com respeito, como qualquer pessoa faz com o retrato de um ente querido. Colocar a imagem de Jesus ou de Nossa Senhora num lugar de honra em nossa casa é um gesto de fé: queremos dizer que eles são para nós as pessoas mais importantes, que viveram o projeto de Deus. Tudo isso não tem nada a ver com idolatria. No entanto, existem também católicos supersticiosos que atribuem um poder mágico às imagens dos santos. Tratam a imagem como se fosse o próprio santo, como uma espécie de amuleto, que garante por si mesmo proteção e felicidade, enquanto que as imagens nos levam a refletir sobre pessoas que centram suas vidas em Deus. Por isso, o culto das imagens, aprovado pela Igreja, longe de cair na aberração da Idolatria, ajuda o cristão a crescer na sua fé no Deus de Jesus Cristo.
8. É claro que só Cristo nos salva, como nos ensina a Bíblia. Para a Igreja católica, não são os santos que nos concedem as graças que pedimos a eles. Por isso dizemos: Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores. Quando reza aos santos e santas a Igreja usa sempre a fórmula: rogai por nós. Quer dizer, pede que eles roguem por nós a Deus, para que eles nos concedam a graça que precisamos. Ao contrário, quando se dirige a Cristo, a Igreja diz: Senhor, tende piedade de nós, como fez o cego do Evangelho; porque Cristo, o Filho de Deus, recebeu do Pai o poder de dar a vida e a salvação a toda a humanidade. Portanto, quando rezamos a um santo, não o colocamos no lugar de Jesus Cristo, como se ele fosse divino e tivesse o poder de nos salvar. Pedimos só que eles orem por nós a Deus. E isso não é absolutamente contra a Bíblia.

¹Texto extraído do livrinho “Celebrar a vida”. Livro muito usado nas Santas missões redentoristas.

Colaboração de Padre-Donizete Araújo, CSsR.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Por favor, indique o seu nome aqui